Há um mês Belém sediou o XVII Congresso Eucarístico Nacional – CEN2016, maior evento católico realizado no país de 15 a 21 de agosto.

Ainda em 2010, quando Belém foi escolhida para sediar o XVII Congresso Eucarístico, Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém, usou a frase do Evangelho (Lc 2, 15) “ Vamos a Belém para ver o que lá aconteceu” fazendo o convite para que o Brasil viesse a Belém.

O convite foi aceito e cerca de um milhão de pessoas vieram e conheceram a fé e o jeito de ser da igreja viva na Amazônia. Com isso a Arquidiocese de Belém orgulha-se em dizer que o CEN2016 foi um grande presente à Belém, nos seus 400 anos de fundação e de Evangelização, e a todos os católicos do Brasil.

O congresso foi pensando como uma missão e contou com uma programação extensa com: jornadas pastorais, Celebrações Eucarísticas, procissões, simpósio, feira e exposição realizada em diversos pontos da cidade, com momentos de união que proporcionaram trocas de experiências, como nas vigílias onde as paróquias de Belém receberam bispos de todo o Brasil que tiveram o contato com as comunidades.

Clero, comissões, escritório central do CEN2016, BM Promoções, voluntários, comunidades religiosas, novas comunidades e diversas outras realidades dividiram-se em dois grupos que trabalharam na organização do evento.

Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém, fala da gratidão a todos que trabalharam com muito empenho durante esses anos na preparação do Congresso Eucarístico Nacional e que estão no coração dele e Dom Irineu Roman, bispos responsáveis pela igreja de Belém “ Eu penso em duas vertentes, uma foi toda a preparação litúrgica, vocês perceberam como durante os dias do Congresso a nossa Catedral foi um ponto fundamental de referência. A Vida da igreja de Belém pode se radiar a partir dessa nossa Sé Catedral. Cônego Gonçalo junto com padre Plínio e toda a equipe que esteve em torno deles, a eles uma gratidão significativa  por aquilo que fizeram. Outra vertente começou com as comissões que nós constituímos, mas nada disso poderia ter acontecido se não tivéssemos Arnaldo Pinheiro e Alan Monteiro na coordenação junto com a sua equipe, com muita deferência a todas as outras pessoas que trabalharam pela preparação do congresso Eucarístico Nacional, e foi muita gente com dedicação, com seriedade e com grande amor a igreja.” Explica Dom Alberto.

 

Da redação

Colaboração de Alaíse Ribeiro